Tuenti e Rippln chegam ao Brasil para brigar com Facebook

Tuenti e Rippln chegam ao Brasil para brigar com Facebook

Duas redes sociais, totalmente distintas, chegam ao Brasil neste final de primeiro semestre. No entanto, seu objetivo é o mesmo: bater o Facebook. E a escolha do nosso país não é mera formalidade, afinal, somos um dos países mais apaixonados por rede social.

Tuenti

O Tuenti, rede social espanhola com 15 milhões de usuários no mundo, chega finalmente ao Brasil. Fundada em 2006 por Zaryn Dentzel, a rede tem a segurança e privacidade como grande diferencial. A startup tem como padrão a criação de perfis com privacidade máxima e não indexadas pelos buscadores.

No Tuenti, o usuário pode conversar com qualquer um, mas só compartilha fotos e informações pessoais com os amigos de verdade, assim como acontece na vida real.

Sua chegada ao Brasil foi motivada pelo país ser a segunda maior comunidade no Facebook. Sua estratégia é apresentar uma alternativa que pode ocupar um espaço interessante no mercado e fazer valer o alto investimento da Telefónica, principal investidor da startup.

“Embora seja verdade que o Tuenti já possua milhares de cadastrados no Brasil, ainda é cedo para pensar em resultados. O público ainda não conhece a ferramenta e a chegada do serviço ao país vai despertar o interesse dos brasileiros”, conclui Zaryn.

RIPPLN

O Riplln é uma rede social que tem mais chances de dar certo no Brasil. Com um marketing de auto-afirmação, prometendo ultrapassar o Facebook em menos de 1 ano, a empresa tem uma estratégia deve ter bastante retorno no nosso mercado.

Apesar de não colocar nada de modo explícito, já há informações de que o sistema de Marketing Multinível será o grande diferencial. Após BBOM, Telexfree, Monavie e Polishop terem grande impacto por aqui, a expectativa é alta. Principalmente, porque a rede ainda é privada a convidados, aumentando a persuasão.

Um de seus divulgadores no Brasil, o consultor de marketing Ramon Tessmann confirma os boatos de Marketing Multinível. “Vai ter algo de Marketing Multinível, mas fora isso será uma rede social normal. Quem quiser usar como Facebook, não terá problemas. Quem quiser monetizar é só entrar como jogador”, revela.

Por enquanto, há apenas um vídeo sobre a rede:

Comentários

comentários